Data Representação de um calendário 12/02/2021

Como trabalhar no exterior através de um intercâmbio.

Tem muitas oportunidades de trabalho fora do Brasil. Conheça alguns países e programas de intercâmbio para trabalhar no exterior.

Trabalhar no exterior é o sonho de muita gente. Seja por 1 ano ou 6 meses, esta experiência muda a vida de qualquer pessoa.

Além de melhorar no idioma, trabalhar no exterior oferece um crescimento pessoal e profissional intangível. Nós mudamos a percepção do mundo à nossa volta, além de melhorar a nossa auto confiança. 

Assim, o programa de intercâmbio para estudo e trabalho é a forma mais simples, segura e rápida para trabalhar no exterior. 

Então, vamos explicar mais sobre as condições para trabalhar no exterior, nos 7 principais países que aceitam intercambistas brasileiros. 

Como trabalhar no exterior: destinos mais populares

  • Estados Unidos
  • Austrália
  • Nova Zelândia
  • Irlanda
  • Emirados Árabes
  • Malta
  • Canadá

Estados Unidos.

Em primeiro lugar, nos Estados Unidos estudantes e turistas não possuem permissão para trabalhar. No entanto, há alguns programas de intercâmbio voltados a jovens universitários ou recém-formados que permite uma experiência profissional temporária.

A grande vantagem é que, na grande maioria, você já sai do Brasil sabendo onde vai estudar e trabalhar. Muitos dos processos seletivos são feitos online. 

O programa mais popular é o Work Experience USA, também conhecido como Work and Travel, onde jovens aproveitam as férias da universidade para trabalhar por 3 ou 4 meses em resorts e estações de esqui.

Confira as opções de intercâmbio de trabalho nos EUA:

  • Programa de Au Pair
  • Programa Work Experience USA
  • Internship and Trainee
  • Camp Counselors USA

Austrália

Com o visto de estudante (que autoriza trabalhar) concedido no Brasil, o aluno busca o emprego por conta própria, dentre muitas oportunidades em hotéis, bares, restaurantes, lojas, cafés etc. 

O aluno deve estar matriculado em um curso de inglês com duração mínima de 14 semanas e carga horária mínima de 20 horas por semana. 

Pode trabalhar até 20 horas por semana durante as aulas e até 40 horas semanais nas férias e feriados. Frequentemente, a média salarial é de AUD $19.65 por hora.

Nova Zelândia

O país vizinho à Austrália adota uma política muito semelhante. Da mesma forma que na Austrália, o visto de estudante da Nova Zelândia já vem com autorização de trabalho de meio período. O curso deve ser de, pelo menos, 14 semanas e ter uma carga horária de, no mínimo, 20 horas por semana. 

Os salários pagos são, em média, NZD 13.75 por hora. As cidades mais procuradas são Auckland, Queenstown, Wellington e Christchurch.

work-travel-banner

Irlanda

Da mesma forma, na Irlanda, há muitas oportunidades similares de emprego no exterior e o aluno precisa estar cursando um curso de idiomas para que tenha direito de trabalhar nas horas vagas.

O curso precisa ter, no mínimo, 25 semanas e a carga horária deve ser de, pelo menos, 15 horas semanais. Pode-se trabalhar até 20 horas por semana durante os estudos e até 40 horas semanais nas férias e feriados. 

O visto é feito na Irlanda mediante apresentação da documentação exigida. Além disso, o salário médio é de EUR 8.65 por hora.

Emirados Árabes

Assim como acontece na Austrália, Nova Zelândia e Irlanda, em Dubai, o próprio aluno deverá buscar o emprego que desejar. As oportunidades são inúmeras para estudantes que possuem nível de inglês de, no mínimo, intermediário.

Especialmente brasileiros são muito bem vistos e costumam ocupar cargos de atendimento ao cliente, como barista, atendente de lojas, supermercados, hotéis e restaurantes.  

O que muita gente não sabe é que, apesar da língua oficial ser o árabe, em Dubai 85% da população é composta por estrangeiros. Portanto, a língua que predomina é o inglês. 

A duração mínima exigida do curso é de 12 semanas, com 15 horas de aulas por semana. O aluno pode trabalhar durante todo o período de estudo e sem limite de horas de trabalho. O visto é feito pela própria escola e leva cerca de 2 a 4 semanas para processar. 

A média salarial é de $5.000 Dirham (moeda local) por mês.

Malta

Em Malta, o aluno igualmente deverá buscar a vaga de emprego que mais lhe convier e precisa comprovar condições financeiras para aplicar para o visto no próprio destino. O curso deve ter duração mínima de 14 semanas, com carga horária de, pelo menos, 15 horas semanais.

Porém, a permissão para trabalhar é concedida somente após a 13ª semana e a carga horária permitida para trabalho é de 20 horas por semana. O salário médio é de EUR 5 por hora.

Canadá

No Canadá, estudantes de cursos de idiomas não têm permissão de trabalho. No entanto, alunos de cursos vocacionais ou de cursos superiores têm! 

Há muitas ofertas de cursos vocacionais de ótima qualidade e excelente custo benefício. Conciliando o estudo e trabalho de meio período, o intercambista consegue dinheiro o suficiente para se manter no país. 

É importante que o aluno tenha um nível de inglês pós-intermediário. E a matrícula da escola, assim como o teste de nivelamento, pode ser feito no conforto da sua casa. 

Trabalhe no exterior com a Intercultural

Enfim, se você curtiu essas dicas de como trabalhar no exterior e quer ter uma experiência internacional incrível, além de aprimorar muito o seu idioma, fale com nossos especialistas. E então, o que está esperando? Nós oferecemos todos os programas de intercâmbio citados acima!

estudar-canada-banner