Data Representação de um calendário 24/11/2015

Permissão de trabalho na Irlanda: como funciona!

Permissão de trabalho na Irlanda: como funciona!

Atualmente, três países de língua inglesa permitem que os estudantes matriculados em cursos de inglês trabalhem legalmente enquanto estudam: Austrália, Nova Zelândia e Irlanda.

Para os dois países da Oceania, o interessado precisa solicitar o visto de estudante antes de sair do Brasil.

Já na Irlanda, o processo é diferente: o visto é concedido na chegada ao pais e na Irlanda o estudante deve solicitar a permissão de trabalho.
E como isso funciona? Logo na Imigração, ao desembarcar na Irlanda, o estudante precisa apresentar documentos obrigatórios:

– Passaporte;

– Carta da escola;

– Comprovante de acomodação;

– Passagens de ida e volta;

– Seguro saúde governamental obrigatório;

– EUR 3.000 (em espécie, cartão Visa Travel Money etc)

Dessa forma, inicialmente, o oficial irá conceder uma permissão temporária para permanência no país. Esse tempo é suficiente para que o estudante se organize junto a escola e apresente os documentos necessários para garantir o visto de estudante com permissão de trabalho – conhecido como “Stamp 2”.

E quais são os documentos necessários juntar para conseguir a permissão de trabalho? Primeiro, para ser elegível a esse tipo de visto, é preciso sair do Brasil matriculado em um curso com duração mínima de 25 semanas e carga horária mínima de 15 horas/semana. Os estudantes precisam organizar e se apresentar no Immigration Public Office da cidade com os seguintes documentos:

– Passaporte;

work-travel-banner

– Carta da escola comprovando o pagamento, período e carga horária mínima de aula;

– Comprovante de residência;

– Carta ou apólice do seguro saúde obrigatório (com cobertura mínima de 30 mil euros);

– Extrato do banco irlandês comprovando o mínimo de EUR 3.000 (a própria escola irá dar suporte na abertura da conta);

Além desses documentos, o aluno precisará pagar via cartão de débito uma taxa de EUR 300 para emissão do GNIB – documento que comprova que o estudante está vivendo legalmente no país – que leva menos de 1 hora para ficar pronto. Com ele em mãos, o estudante poderá respirar aliviado e aproveitar ao máximo o tempo na Irlanda!

MUDANÇAS

Diante de muitos casos de escolas fechando, deixando os alunos “abandonados” e visando garantir a qualidade de ensino no país, desde setembro de 2014, o governo irlandês vem anunciando uma série de mudanças para proteção dos estudantes internacionais que investirem em sua educação. A implementação das reformas possui duas etapas e irá contemplar instituições de ensino superior e escolas de inglês. A data definitiva para que todas essas novas regras sejam aplicadas de fato ainda não foi esclarecida, mas a qualquer momento elas podem passar a valer. Abaixo vamos listar as principais para que você possa se programar, arrumar as malas e embarcar rumo a esse destino!

Até o momento a lista definitiva com as escolas que poderão emitir a carta de visto para os estudantes internacionais não foi divulgada. Essa lista será chamada de ILEP – Interim List of Elegible Programes e enquanto não entra em vigor, a recomendação do governo irlandês é que os futuros intercambistas escolham escolas que possuem o selo ACELS e que sejam membros da MEI – associação entre cerca de 54 escolas de idiomas na Irlanda e que oferece segurança aos estudantes e realocação gratuita caso uma delas feche.

Para maiores informações, consultar:
MEI: http://mei.ie/
ACELS: http://www.acels.ie/

– Uma das mudanças mais importantes, é que todas as instituições deverão oferecer obrigatoriamente proteção aos alunos, via contrato, em caso de fechamento.

– Duração do visto: anteriormente 1 ano, passará a ser de 8 meses: 6 meses de estudos + 2 meses de férias. E, além disso, se manteve a possibilidade de renovar o visto por 2 vezes, garantindo tempo de permanência de até 2 anos no país.

– Os estudantes poderão trabalhar 20 horas semanais no seu período de aulas. Já nos períodos estipulados pelo governo – de 15 de dezembro a 15 de janeiro e de maio a agosto – poderão trabalhar por até 40 horas semanais.

Novamente: todas essas mudanças são para garantir a qualidade do ensino no país, oferecer segurança aos alunos internacionais que investirem em sua educação e manter a Irlanda como um dos destinos preferidos por quem deseja realizar o sonho de um intercâmbio!

A Intercultural é o seu portal para estudar no exterior.  O mundo te espera!

estudar-canada-banner