Regras de etiqueta empresarial no exterior que você precisa saber
Data Representação de um calendário 05/09/2016

Regras de etiqueta empresarial no exterior que você precisa saber

Neste Blog Post, apresentamos regras de etiqueta empresarial de alguns países, para você evitar possíveis constrangimentos e transmitir uma imagem positiva. Confira!

Estudar ou trabalhar no exterior é o sonho de muitos brasileiros, já que experiências fora do país enriquecem o currículo e resultam em uma bagagem cultural inigualável. Mas, para saber se comportar em um novo ambiente de negócios, cheio de particularidades culturais, é preciso conhecer as regras essenciais de etiqueta empresarial dos diferentes países para não cometer gafes e acertar nas reuniões.

Cada nação tem sua cultura e seus hábitos, e por mais que sejamos habituados às boas maneiras do nosso país, alguns podem parecer estranhos para outras pessoas. Entender, respeitar e se adaptar às particularidades de cada lugar contribui positivamente para a sua imagem profissional.

Por isso, apresentamos abaixo algumas regras de etiqueta empresarial de alguns países, para você evitar possíveis constrangimentos e transmitir uma imagem positiva. Confira!

Como se portar em cada país? Confira as regras de etiqueta no exterior

Canadá

Sabemos que o Canadá é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros para estudar, assim como para trabalhar. Se o país também for a sua opção, saiba que, em reuniões de negócios, os canadenses costumam adotar a vestimenta formal e referir-se aos participantes pelo primeiro nome.
E se no Brasil (e até nos Estados Unidos) costuma-se falar sobre amenidades para quebrar o gelo antes de reuniões, esse não é o caso dos canadenses. Além disso, como na maioria dos lugares do mundo, deve-se evitar interromper quem está falando.

Estados Unidos

Os americanos preferem que o tratamento no ambiente de negócios seja menos formal, utilizando o primeiro nome, e não o sobrenome. Porém, ao ser apresentado a um americano, recomenda-se não tomar a iniciativa do beijo. O ideal é deixar a pessoa indicar se basta um aperto de mão ou não.
Eles também não se incomodam em discutir assuntos de negócios durante qualquer refeição, inclusive, no café da manhã.

Nova Zelândia

Já os neozelandeses preferem deixar assuntos de negócios somente para os almoços, fazendo com que as outras refeições sejam reservadas para interações sociais. Na Nova Zelândia, também se preza por falar o mínimo possível durante as refeições.

A pontualidade é outra qualidade valorizada por eles. Portanto, para não os desrespeitar, chegue sempre no horário ou com antecedência aos compromissos.

Austrália

Na Austrália, um dos poucos locais onde estudantes internacionais podem trabalhar enquanto estudam, valoriza-se amplamente pessoas que opinem livremente e não fiquem caladas durante reuniões. Eles buscam sempre situações ganha-ganha e preferem o excesso de opiniões do que o silêncio absoluto em um encontro de negócios.

China

A China é conhecida por características culturais bastante distintas dos costumes ocidentais e, por isso, é um dos países em que mais se deve prestar atenção à etiqueta empresarial e social.
Um exemplo é que, ao finalizar uma reunião, deve-se deixar os chineses saírem da sala antes. E também deve-se entregar ou receber presentes sempre os segurando com as duas mãos.
Falando em mãos, ao cumprimentar alguém, os chineses não possuem o hábito de beijar, e sim estender o braço para um aperto de mão.

Japão

Continuando com a etiqueta empresarial oriental, no Japão, um dos países que mais oferecem oportunidades de estudo para brasileiros, uma pessoa nunca deve servir-se de uma bebida sozinha. É necessário sempre deixar alguém a servir.
E, em reuniões, é comum deixar a pessoa mais velha liderar a discussão e falar mais que os outros, como um sinal de respeito.

Índia

Assim como a China e o Japão, a Índia também é muito rica culturalmente e possui características bem peculiares. Para não errar frente aos indianos, sempre tire os sapatos ao entrar na casa de alguém e evite dizer não durante reuniões, o que é considerado rude. O ideal é substituí-lo por “eu tentarei” ou “possivelmente”.

Outra coisa considerada ofensiva na Índia — e que para os brasileiros e os americanos é extremamente comum — é agradecer seu anfitrião após uma refeição. Isso porque o “obrigado” é considerado como uma forma de pagamento.

Outra dica para não errar frente aos indianos no ambiente de negócios ou lazer é sempre pegar a comida apenas com a mão direita.

França

Passando para a Europa, temos a França, um dos países mais visitados por turistas. Mesmo que o seu idioma não seja um dos mais falados do mundo, ficando na 18ª posição do ranking, os franceses apreciam que você se desculpe por não o saber.
Em reuniões de negócios, os franceses costumam se tratar pelo sobrenome e, nesse país, interromper quem está falando para adicionar um comentário ou argumentar não é considerado falta de educação.

Alemanha

Na Alemanha, país adorado pelos intercambistas, é comum que, ao realizar um aperto de mão, também seja feito um pequeno aceno com a cabeça. Já em reuniões, é importante deixar a pessoa mais velha entrar primeiro na sala e evitar humor no ambiente de negócios.
Os alemães também costumam ser bastante diretos e objetivos na comunicação profissional, o que pode até assustar um pouco os latinos, já que temos o hábito de não irmos direto ao ponto.
Porém, isso não significa que a pessoa está sendo rude, mas que está defendendo seu ponto de vista e cumprindo o programa do encontro sem desvios.

Espanha

A facilidade de compreensão do idioma, festas, a hospitalidade e tantos outros atrativos, fazem com que a Espanha seja um local onde os brasileiros se sentem em casa. Porém, não podemos nos enganar pela boa receptividade dos espanhóis quando estamos tratando de etiqueta empresarial: eles preferem apertos de mão fortes e roupas formais.
Por outro lado, a comunicação dos espanhóis é menos direta do que a de outros europeus, permitindo até que um assunto se desvie para amenidades durante um encontro de negócios.

Reino Unido

No Reino Unido, que abrange a Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, os homens nunca vestem camisas com bolsos, mas, se isso ocorre, estes devem permanecer vazios.

Além disso, eles raramente mantêm contato visual durante conversas e reuniões e, em um jantar, brindar com pessoas mais velhas que você é considerado falta de educação.

Sobre a tão famosa pontualidade britânica, o motivo da fama é mais histórico do que uma questão de etiqueta empresarial. Isso porque, em 1830, a Grã-Bretanha se tornou o primeiro país a adotar um horário nacional.

Antes disso, os relógios sempre eram acertados ao meio dia, que era sabido em função da posição do sol. Isso não garantia muita precisão, ocasionando divergências de horário entre regiões e cidades. Hoje, os britânicos continuam a ser referência em questões de horários, já que o relógio localizado no Observatório Real de Greenwich determina o GMT — Tempo Médio de Greenwich, que rege questões de fuso horário mundialmente.

Você já teve a oportunidade de se relacionar profissionalmente com pessoas de países e culturas diferentes e presenciar diferentes manifestações de etiqueta empresarial? Está procurando uma oportunidade de estudo e trabalho no exterior para dar um up no currículo? Deixe um comentário e visite o nosso site.