Já Fui! Já Fiz! | Work Experience USA | Parte 3
Data Representação de um calendário 02/09/2016

Work Experience USA: Stephanie trabalhou na Califórnia

Work Experience USA: Stephanie trabalhou na Califórnia

Como um intercâmbio de trabalho pode mudar a sua vida.

Na terceira e última parte do depoimento da Stephanie, ela conta sobre a experiência de trabalho, como se divertiu praticando ski e snowboard e a melhor parte, as amizades e viagens que fez.

“Eu sabia falar um pouco de inglês, mas ainda sem muita confiança em mim, ou seja, sem experiência. Fui bastante orientada pelo consultor da Intercultural e decidi ir para Northstar-at-Tahoe, um resort de ski  popular na Califórnia. Fui contratada para a vaga de ticket checker.

DSC08696

Meu trabalho era controlar os passes de quem iria subir na montanha para esquiar. Meu uniforme era azul e cinza e bem quente, apropriado para trabalhar a céu aberto, e uma maquininha tipo uma pistola que scaneava o ticket da pessoa e liberava a entrada.

work-experience-usa

Eu tinha duas folgas por semana, em média. Como lá recebemos por hora, eu sempre queria trabalhar mais e mais. Consegui um segundo trabalho em um restaurante/loja Francês, trabalhei como caixa. Como ticket checker eu ganhava 8,25 por hora e como caixa 8,50. Não achei pesado os dois trabalhos, para mim foi bem tranquilo e valeu muito à pena, pois no final do intercâmbio eu consegui viajar bastante e para lugares que, pra mim, era um sonho conhecer, além de conhecer mais pessoas também.

adv

Praticar o snowboard e esqui, pra mim, foi incrível, foi amor! Mas não pense que você vai botar a prancha ou esquis e descer a montanha divando. Tá mais pra rolando!  Mas não desista, o snowboard é mais difícil de aprender porém mais fácil de aprimorar e o esqui é mais fácil de aprender e mais difícil de aprimorar.

job-fair

Eu tentaria os dois, você terá 3 meses pra isso, aproveite todas as oportunidades, pois depois você vai morrer de saudades e quando tiver que pagar USD 90 pra passar o dia na montanha, vai se arrepender de não ter aproveitado quando podia descer de graça.

DSC09471

Mas duas coisas que fizeram valer à pena o intercâmbio foram as amizades que fiz e as viagens que realizei.

São tantas festas divertidíssimas e tantas pessoas de culturas diferentes que conhecemos…  Eu já recebi 3 visitas internacionais de amigos que fiz em Lake Tahoe, já fiquei hospedada na casa de um amigo chileno, em uma viagem que fiz ao Chile, e conseguimos fazer um super encontro de toda a turma, fomos para a famosa Oktoberfest em Blumenau. São experiências e momentos como esses que você vai levar para o resto da vida. Os amigos, as paqueras, as viagens, o trabalho, a diversão, os micos e também muito amadurecimento, respeito e responsabilidades que você desenvolve.

California 567

Ah, e se você se pergunta se vai conseguir viajar? Coloquei viajar como o meu objetivo e consegui ir para Las Vegas, fazer a Costa da Califórnia de carro e conhecer o Hawaii. Para isso eu tive 2 empregos, trabalhei bem e não faltei nenhuma vez ou cheguei atrasada e não gastei muito nas festas.  Para visitar Las Vegas e descer a costa da Califórnia de carro, fui com meus amigos intercambistas e tivemos que negociar as folgas da semana.  Para o Hawaii, eu programei viajar no final do intercâmbio, marquei a passagem para uns dias antes de retornar para o Brasil. Não consegui companhia, então fui sozinha mesmo e fiz amizades por lá. Em todas as viagens economizei em hospedagem e alimentação para poder curtir os passeios.

DSC00270

Esse intercâmbio foi tão inesquecível que eu, depois de 2 anos, decidi fazer de novo. Só que na segunda vez eu mudei a cidade. Novamente escolhi um destino de inverno, Park City, Utah. Mais madura e com o inglês afiado, aproveitei muito mais!

DSC09521

Depois de ter compartilhado toda a minha experiência, as minhas dicas são: curta as festas, saia pra balada, não faça bobagens, pois a polícia americana é muito séria. Faça snowboard, curta a montanha, trabalhe direito e seja responsável, faça amigos, faça compras, afinal seu salário é em dólar e você não precisa converter, coma Hagen Däzs como se não houvesse amanhã, coma hot pocket e banquet, viaje nem que seja pra cidades próximas e volte arrasada de ter que deixar aquela cidade.

Isso quer dizer que você curtiu o Work Experience USA como ele merece ser curtido.”

Stephanie Barbosa

Se você  não acompanhou toda a história da Stephanie, clique aqui para ler a segunda parte do depoimento.

work-experience-usa