7 dicas de viagem para quem vai viajar sozinha para os Estados Unidos
Data Representação de um calendário 23/07/2018

7 dicas para quem vai viajar sozinha para os Estados Unidos

Explorar o mundo sozinha é o sonho de muitas mulheres, e com as nossas dicas de viagem, vamos te mostrar como ir para os Estados Unidos de forma segura, aproveitar cada minuto da sua trip e mostrar curiosidades sobre o país.   Com certeza você já deve ter ouvido as seguintes frases: “Viajar sozinha? Nossa, […]

Explorar o mundo sozinha é o sonho de muitas mulheres, e com as nossas dicas de viagem, vamos te mostrar como ir para os Estados Unidos de forma segura, aproveitar cada minuto da sua trip e mostrar curiosidades sobre o país.

 

Com certeza você já deve ter ouvido as seguintes frases:

“Viajar sozinha? Nossa, é muito perigoso!”

“Vai sozinha por quê? Não tem ninguém pra ir com você?”

Portanto, quebre os tabus e os preconceitos de que mulher sozinha não pode colocar o pé na estrada e prove, na prática, que isso é totalmente possível.

viajar-sozinha-estados-unidos

Vale a pena escolher os EUA para sua primeira (ou próxima) viagem sozinha porque, além do país ter uma cultura muito próxima com a do Brasil, existem inúmeros lugares para conhecer.

Desde montanhas “temperadas” de neve até outlets cheios de promoções para comprar o que quiser.

Então siga a leitura e anote essas dicas de viagem que irão te ajudar a se planejar sem erro.

 

1 – Passar pela imigração

Esta é uma das partes mais temidas de quem desembarca no país, afinal depois de se organizar, passar horas dentro de um avião e pegar as malas na esteira, ninguém quer ter que voltar pra casa conhecendo apenas o aeroporto, não é mesmo?!

É importante ficar atenta aos documentos exigidos para não esquecer de nada. Verifique bem antes e depois do embarque e desembarque.

Dica: Procure organizar tudo em uma pequena pastinha, é mais prático e você não corre o risco de perder tickets ou reservas.  

Na fila da imigração, é difícil conter a ansiedade e o nervosismo, mas respire fundo, concentre-se e aja naturalmente. Entrar no país de maneira legal não tem erro!

Já na entrevista de imigração seja objetiva e simpática, essa é a fórmula do sucesso de qualquer avaliação. Se não está segura com o seu inglês, não se preocupe, existem tradutores que estarão lá para ajudar.

Passadas essas etapas, é só receber o carimbo, guardar o passaporte e se jogar na viagem!

 

2 – Fazer as malas: Tente levar o básico!

Se você é uma mulher prática, ótimo!

Mas se esse não é o seu caso, é bom dar uma estudada no guarda-roupa e criar uma lista dos itens colocados na mala.  

Dica: leia a lista mais de uma vez sempre se perguntando: quando vou precisar disso? Caso não haja uma resposta, dispense!

Assim você evita gastar com excesso de bagagem, não carrega peso extra e garante espaço para trazer lembrancinhas e afins.

 

3 – Vá com segurança

Viajar com segurança não significa apenas ficar atenta a quem está ao seu redor e estar bem localizada. A segurança que falamos aqui vai além.

Por isso, essa é umas das melhores dicas de viagem da nossa lista!

Entrar nos Estados Unidos e poder ficar por meses legalmente no país, isso é estar segura.

Conhecer pessoas com o mesmo objetivo, trocar ideia com quem é local e fazer amigos que podem dar dicas e te acompanhar nos passeios, isso também é estar segura.

Ter amparo total para qualquer eventualidade ou emergência, isso é estar completamente segura.

Tudo isso é possível ao viajar com o Work Experience USA, pois além de você viver momentos inesquecíveis, tem a possibilidade de passar mais tempo “nos states”, ganhando em dólar ao trabalhar em resorts e estações de esqui, por exemplo.

Com uma carga horária semanal de 35 horas de trabalho, em média, é possível se planejar e conhecer mais lugares nas horas de folga.

work-experience-usa

Uma opção perfeita de um mochilão nas férias de verão da faculdade!

Faça seu cadastro para receber mais informações, as datas e solicitar orçamentos.

Olha o que as meninas que já embarcaram nessa experiência falam sobre o Work Experience USA:

“Fiz muitos amigos, de diversos países, Peru, Chile, Argentina, Alemanha, Irlanda, Equador, África do Sul, Londres. Meu inglês melhorou de uma forma bem específica, não foi o vocabulário que melhorou e sim o “clique” para pensar em inglês, é sensacional como você imerge na língua e passa a usar de forma totalmente natural.”

Conta Alessandra, que é de Santa Catarina.

“Super faria o programa novamente. Sem sombra de dúvidas foi uma das melhores experiências da minha vida. Muitos momentos ficarão comigo durante a minha vida toda.”

Diz Ana, que é de Londrina/PR.  

 

4 – Use e abuse dos aplicativos de celular

 

Tecnologia e suas facilidades, aproveite bem!

Atualmente existem diversos apps que auxiliam em praticamente tudo o que você precisa quando está viajando, principalmente sozinha.

Separamos alguns bem bacanas para te mostrar:

  • Rent a Local Friend – esse aplicativo ajuda a encontrar pessoas locais que estão dispostas a mostrar como é o modo de vida local, até mesmo preparando roteiros personalizados, guiando melhores meios de transportes etc.
  • Party With a Local Friend – a ideia deste é parecida com a opção anterior, porém o foco aqui são as festas, shows, barzinhos e eventos indicados por quem mora na região.
  • Companion – com ele, você consegue indicar aos amigos, familiares ou pessoas próximas a sua localização, contando com um botão chamado “me sinto nervoso” para casos de desconforto em determinado local ou até mesmo a ligação direta para a polícia da cidade em que está.

 

Fazendo uma pesquisa rápida pelo google, você encontra milhares de opções de aplicativos. Sempre há algum que atenda exatamente a sua necessidade.

 

5 – Moedas e câmbio

Esta é uma parte fundamental para o sucesso da sua viagem: saber administrar sua grana lá fora.

É preciso trocar real por dólar, de preferência antes de viajar.

Nos próprios aeroportos existem casas de câmbio que fazem esse serviço, mas é bom ficar atenta com as cotações e o preço que está a moeda nas datas próximas a sua viagem, para ir se adiantando na compra do papel-moeda.

Os cartões de débito internacionais são uma boa saída, pois você compra a moeda no Brasil, já sabendo qual será o câmbio aplicado. Se for usar o cartão de crédito, o câmbio pode flutuar e é bom estar de olho nas taxas cobradas nas transações.

 

6 – Vacinação: existe alguma obrigatória para entrar nos EUA?

A resposta desta pergunta é NÃO. Entretanto, não custa se vacinar contra a gripe e febre amarela.

Estar com estas vacinas em dia garante a sua segurança, evitando momentos perdidos por conta de mal-estar ou até mesmo uma possível volta antecipada para casa.

Previna-se!

 

7 – Costumes americanos: fique atenta para não pagar mico

Por mais parecidas que sejam nossas culturas, existem algumas diferenças nos hábitos dos norte-americanos que devemos levar em conta.

Cumprimentar com beijo no rosto não pega bem. No Brasil é sinônimo de simpatia e bons modos, lá é sinal de invasão e inconveniência.

Jogar papel higiênico no vaso sanitário pode parecer estranho para nós, mas lá os vasos são preparados exatamente para isso.

Chamar senhores ou senhoras pelo primeiro nome é ofensivo, nunca esqueça de usar o “Mr.” ou “Mrs.” em uma conversa com pessoas mais velhas.

Curtiu as dicas de viagem?

Siga-nos no insta e fique por dentro de outras novidades sobre viagens, intercâmbio e muito mais.